terça-feira, 21 de junho de 2011

Quando a ambição tolda a visão... e o raciocínio!

.





!...   A ambição levou-o a querer dar o passo maior do que a perna, e ficou só!   E não só ficou só, como acabou por criar constrangimentos a quem o acolheu na corrida pela sua desmedida ambição.   E afinal...   por que carga de água haverá este homem de achar que só o primeiro ou o segundo cargo mais elevado da nação lhe serve?   Por que razão haverá este homem de achar que apenas os cargos de Presidente da República ou (no mínimo) de Presidente da Assembleia da República assentam que nem uma luva à sua ambiciosa pessoa?   Demasiados olhos para tão pouca barriga.   E agora ficou só! 

O resultado estava à vista, e só ele o não viu.   Deficiência de visão.   Poderia (e deveria) ter desistido antes - não o fez.   Poderia ter desistido (ao menos) depois da primeira votação - também o não fez.   A ambição toldou-lhe a visão e o raciocínio, e ele teve que saborear até ao âmago das entranhas o sabor amargo da derrota e da rejeição, para descer lá das "alturas" e estatelar-se cá em baixo, bem rasteirinho, sozinho e pensativo, numa cadeira do Parlamento.   Naquela cadeira onde terá de se sentar, agora enquadrado numa estrutura partidária.   Daquelas que sempre tanto renegou e combateu.  

E agora, Fernando?...

.

4 comentários:

Karocha disse...

http://infamias-karocha.blogspot.com/

Fada do bosque disse...

Não sei porquê, mas deu-me vontade de rir este seu texto. Acho que é pelo ridículo da situação acompanhado do ridículo da foto. :))

Milan Kem-Dera disse...

Ele há pessoas que perderam todo o sentido do ridículo. Será, talvez um problema de falta de oxigenação no cérebro, já que fez demasiadas viagens de avião e algum deles se despressurizou...

Fada do bosque disse...

ahahahahah!! essa foi a rematar! :))