segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A MONUMENTAL obra do Partido Socialista e do governo Sócrates!

.



Segundo Álvaro Santos Pereira no blogue DESMITOS, é esta a MONUMENTAL obra do Partido Socialista e do governo de José Sócrates!   Se isto não é incompetência criminosa, então o que é?   Se isto não é “explodir o país", então o que é?   E será que ninguém pede responsabilidades a esta gente?

1)  A média do crescimento económico é a pior dos últimos 90 anos

2)  A dívida pública é a maior dos últimos 160 anos

3)  A dívida externa é a maior dos últimos 120 anos (desde que o país declarou uma bancarrota parcial em 1892)

4)  O desemprego é o maior dos últimos 80 anos. Temos 610 mil desempregados, dos quais 300 mil são de longa duração

5)  Voltámos à divergência económica com a Europa, após décadas de convergência

6)  Vivemos actualmente a segunda maior vaga de emigração dos últimos 160 anos

7)  Temos a taxa de poupança mais baixa dos últimos 50 anos


Vale a pena visitar o blogue DESMITOS para analisar os 7 gráficos em que este académico se baseia para fundamentar estas conclusões.

De que estão as outras forças políticas à espera para derrubar este miserável governo?  Para retirar definitiva e permanentemente este partido da cena política durante as próximas décadas, reduzindo-o à sua verdadeira condição de partido de gente malformada, arrogante, sem competência e declaradamente imbuída de má fé?  Para apear do poder um governo ruinoso, alicerçado na política da mentira compulsiva e dos vendedores da banha da cobra;  um governo em crescente descrédito e em completo desrespeito pelo povo em geral e pelo contribuinte em particular, que conseguiu a extraordinária façanha de, em apenas 6 anos de (des)governo levar este país à ruína, à falência e à miséria?  Por que esperam para responsabilizar os seus autores e sentar no banco dos réus todos os criminosos que provocaram uma tal hecatombe económica e social? 

Porquê tantos pruridos para apresentar e votar favoravelmente uma moção de censura no Parlamento, venha ela donde vier, tenha ela a cor que tiver?
Qualquer que seja o preço a pagar, ele nunca será maior do que continuar a deixar este governo e o seu partido fazerem o que sempre fizeram: -destruir Portugal !

E, se este modelo político falhou redondamente (e falhou…), por que esperam então o povo e os militares para acabar com este regabofe de gente sem escrúpulos que se apropriou deste país em seu proveito próprio?

.

14 comentários:

mfc disse...

A única coisinha que me irrita é que segundo as sondagens, um povo farto dos desmandos direitistas do PS, entende que a solução seja mais direita ainda!!!

Milan Kem-Dera disse...

Isto já chegou a um tal desnorte e a um estado tal de destruição, que eu já digo como Deng Xiao Ping (quando começou a liberalização da economia na China): - desde que cace os ratos, não importa se o gato é branco ou preto...

Milan Kem-Dera disse...

É claro que a crise já vinha de trás, contudo, tivesse tido este país em 2005 um primeiro-ministro inteligente e sério, isento de amiguismos e não prostiuído ao compadrio e à chulice da facção do partido que o sustenta, e não estaríamos agora na situação de ruptura e de falência totais.

Em 2005, outro que não José Sócrates teria ido ainda a tempo de evitar a hecatombe. Daí que se apresente tão urgente a necessidade de derrubar este governo, antes que ele consiga fazer ainda pior.

E eu acredito, apesar de já quase nada estar de pé, este governo irá conseguir destruir ainda mais! Não irá ficar pedra sobre pedra!
Simplesmente porque, tanto o governo como este primeiro ministro e o partido que o sustenta (e é por ele também sustentado), só sabem fazer uma única coisa: -DESTRUIR e DISTRIBUIR TACHOS AOS AMIGOS. E aos amigos dos amigos. E aos familiares dos amigos. Numa palavra, a toda a "famiglia"!

cantabro disse...

É triste assistir ao que está a passar-se no mundo árabe e verificar que em Portugal, apesar de
os abusos de uma falsa democracia ultrapassarem desmedidamente a "tirania" dos "Faraós", ninguém ousa ir para a rua e à paulada, acabar de vez com os ladrões de colarinho branco, a começar por esse indecoroso e desonesto Sócrates que insulta impunemente este povo desnorteado. É tempo de acordar e irmo-nos a eles com tudo o que tivermos à mão. Basta de tanta bandalheira...

O Raio disse...

Bom, os gráficos são um bocado estranhos porque não acertam com os dados que se conhecem, como por exemplo os da PORDATA (http://www.pordata.pt/).
Algumas dos cinco pontos não parecem correctos e, de uma forma geral, reflectem tendências que já existiam nos governos de Durão Barroso e Santana Lopes.
Por exemplo, a divergência com a Europa (ponto 5) começou com Durão Barroso.

Mas o mais grave é outra coisa, o mais grave é muito pouco disto ser culpa de Sócrates (ou Durão Barroso).

O buraco em quer estamos deve-se principalmente a termos aderido ao Euro como muitas na altura previram e ninguém ligou.

Milan Kem-Dera disse...

Tenho dúvidas quanto à atribuição das culpas à introdução do euro.

Repare que, embora o euro tenha sido introduzido em 2000 e as mais violentas inflexões das curvas dos gráficos coincidam com esta data, a verdade é que também coincidem com o ano em que entrou em funções o XIV Governo (o 2º de Guterres) que, como todos sabemos, estabeleceu uma enorme clivagem com a eficácia dos anteriores, por abrandamento governativo do PM com cedências de toda a espécie ao Partido Socialista. Daí que tivesse pedido a demissão ao fim de 2 anos.

Daí também que das eleições antecipadas em 2002 tenha surgido um governo chefiado por Durão Barroso, que o abandonou em menos de dois anos sem ter feito qualquer obra válida em termos de recuperação, logo seguido de Santana Lopes que, como também todos sabemos, poderá ter jeito para tudo menos para primeiro ministro (só mesmo das Berlengas).

A partir daí... foi o descalabro do governo Sócrates, saído das eleições de 2005! E é a partir deste ano que a curva 5 inflete para um afastamento da Europa, em termos de PIB.
Esta é a leitura que faço dos gráficos.

O Raio disse...

"Tenho dúvidas quanto à atribuição das culpas à introdução do euro."

O Euro baseou-se nas teorias de Robert Mundell (Prémio Nobel da Economia) e das suas "Optimum currency area".

Apesar de alguns esforços nesse sentido nem a UE nem sequer a Eurolândia cumprem os requisitos de uma "Optimum currency area".

O falhanço era previsível e foi anunciado por muitos economistas de áreas muito diversas desde Friedman até Ferreira do Amaral.

Os governos portugueses estão isentos de culpas no descalabro do país por uma razão muito simples. Há muito que perderam o poder de fazer disparates. Este poder está actualmente nas mãos de Bruxelas e de Frankfurt.

Nunca vi estudos cá para Portugal mas já os vi para outros países, estudos que dizem que da legislação que entra em vigor cada ano em cada país, para aí uns 70% vem da UE.

E isto é muito grave pois a Comissão Europeia legisla sem o ónus da aplicação. Isto é, produz legislação sem ter a mínima ideia de quanto custa a sua implementação, e os países aplicam e pagam. E se não a aplicarem são multados!

Com a Comissão e ainda por cima estando no Euro, Portugal como país periférico está sempre a perder, qualquer que seja o Governo que tenha.

E é isto que eu acho grave nos ataques ao Sócrates. Acusa-se o pobre desgraçado de todas as catástrofes o que acabará por causar a sua substituição.

E quem é que o substituirá? Passos Coelho que, na melhor das hipóteses, será tão mau como o Sócrates!

Sim, que fará Passos Coelho? Deixará o país continuar a deslizar e atribuirá todas as culpas ao Sócrates até o povo se fartar e correr com ele.

Entretanto o verdadeiro problema do país continuará...

"Santana Lopes que, como também todos sabemos, poderá ter jeito para tudo menos para primeiro ministro"

Sinceramente, nunca percebi esta sanha contra o Santana Lopes. Por mim até simpatizava com o tipo.

Milan Kem-Dera disse...

««E é isto que eu acho grave nos ataques ao Sócrates. Acusa-se o pobre desgraçado de todas as catástrofes o que acabará por causar a sua substituição»»

Dos inúmeros disparates e crimes económico-sociais, só à conta deste governo (e dos outros PS), destaco apenas alguns dos incontáveis exemplos:
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram a fazer auto-estradas em vez de vias IC e IP para que tenhamos que pagar as PPP durante várias dezenas de anos a juros de 14%?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigou a construir um TGV e um Aeroporto em Alcochete, quando nem um nem outro são necessários, só se for para as moscas?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram a destruir o SNS e a privatizar os hospitais para que os privados apresentem agora uma conta muitíssimo superior ao Estado e com muito pior serviço aos utentes?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigou a gastar várias centenas de milhões de euros em consultadorias privadas só para "ajudar" os amigos e os amigos dos amigos?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram o Estado a criar dezenas de milhares de organismos só para meter os seus boys pagos a peso de oiro (ainda há DOIS DIAS acabou de ser criado mais um pela Canavilhas!)?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram a fechar e destruir as linhas de caminho de ferro para que agora estejamos em maior dependência do petróleo que não possuímos?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que mandaram privatizar a Galp e tudo o que respeita a combustíveis para que agora o país esteja cada vez mais dependente e atrofiado pelos interesses do grande capital que a adquiriu?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que mandaram aumentar os impostos às pequenas e médias empresas e reduzi-los às grandes empresas e aos Bancos para que aquelas que mais empregos geravam tivessem que fechar portas?
- Foi Bruxelas ou Frankfurt que mandaram injectar 2.500 milhões de euros no BPN, dinheiro que o Estado não tinha e que agora tenha de ir ao bolso já seco dos contribuintes, só para manter as fortunas colossais dos amiguinhos e dos amigos dos amiguinhos?
etc... etc... etc...

Como vê, seria um rol imenso de denúncias, tantas que não caberiam aqui, de tantas asneiras feitas pelo "pobre" do Sócrates apenas em 6 anos de governo!...

Quanto ao Passos Coelho... esse é o nosso grande fatalismo. Ninguém presta. Não temos ninguém na política que preste. E os que são bons não querem meter-se na política, para não ficarem todos BORRADOS. Porque a política neste país é um enorme e putrefacto atoleiro de MERDA! Que sufoca e destroi quem tem mérito e premeia os crápulas e sabujos do sistema!...

Por isso eu digo que este modelo político FALHOU. Pura e simplesmente, falhou. Há que encontrar outro! E depressa!...

Tem a palavra o povo e os militares!

angelino disse...

IMAGINAÇÃO


Imaginemos um país do faz de conta
Um país repleto de poetas
Um país com povo, deputados e ministros
Um país com espertos e patetas

O povo po veia
E anda zombie e distraído

Os deputados de putam
E andam felizes fingindo que lutam

E os ministros?
Os ministros governam
E andam inchados pela sua governação

O primeiro… vendeia
Sapato? Não
Fazenda? Também não.
Automóveis? Negativo
Talvez tecnologia de ponta;
Carros de combate,
Aviões supersónicos
Submarinos


É isso!!
O homem anda ufano, inchado
parece um pavão
Só pode andar a vender
Material sofisticado
Material em primeira-mão

Também não!
Esse material o primeiro manda comprar
E no livro dos fiados manda apontar
Aumentando a dívida que diz
Ser dos patetas


Então… que vende o homem?

A dívida!

A dívida???

Genial, este primeiro.
Agora percebo o seu sorriso
O seu pavoneio


É um mestre este primeiro
Saltita de terra em terra
Todo feliz todo catita
E vende o suor
A fome
E a miséria
De um país
Que não existe
Mas se existisse
Era um país de
Parvos,
Estúpidos
Poetas
E patetas.

Se existisse este primeiro
Tinha razão para andar inchado
Que nem um pavão
Era sem dúvida uma ave rara
Era sem dúvida um campeão

O Raio disse...

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram a fazer auto-estradas em vez de vias IC e IP para que tenhamos que pagar as PPP durante várias dezenas de anos a juros de 14%? "

Até foi! As IP eram um matadouro!
Quanto às PPP foi um processo caro de rodear os limites ao endividamento impostos por Bruxelas.
Seria muito mais lógico que o Estado se tivesse endividado para as construir como, por exemplo, Salazar fez com a Ponte 25 de Abril.
Quanto ao pagamento durante dezenas de anos é a aplicação do utilizador-pagador. Quem é que as vai utilizar? Os nossos descendentes. É natural que eles as paguem.
Por fim as PPP foram uma invenção da Margareth Tachter e foi um truque utilizado por governos PS e PSD.
Até começaram com o Cavaco Primeiro Ministro!

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigou a construir um TGV e um Aeroporto em Alcochete, quando nem um nem outro são necessários, só se for para as moscas? "

Nem um nem outro são necessários? Boa piada, quer o aeroporto quer o TGV Lisboa-Porto há muito que deviam estar construídos. O TGV para Madrid é que é inútil. Foi um dos disparates de Durão Barroso que cedeu aos espanhóis para rentabilizar o TGV Madrid-Badajoz.

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram a destruir o SNS e a privatizar os hospitais para que os privados apresentem agora uma conta muitíssimo superior ao Estado e com muito pior serviço aos utentes? "

A política de Bruxelas é aumentar a concorrência nos serviços de saúde e isso passa pela privatização.
Quem a começou foram governos do PSD (ainda no tempo do Cavaco).

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigou a gastar várias centenas de milhões de euros em consultadorias privadas só para "ajudar" os amigos e os amigos dos amigos? "

Em parte. O Governo ao ir desfazendo-se da Função Pública tem de recorrer a privados. Como todas as ideias brilhantes de Bruxelas, saí mais caro e o serviço é pior. Tem acontecido em toda a União. Portugal até é dos mais atrasados neste aspecto.

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram o Estado a criar dezenas de milhares de organismos só para meter os seus boys pagos a peso de oiro (ainda há DOIS DIAS acabou de ser criado mais um pela Canavilhas!)? "

Isto é pura propaganda! Há organismos úteis e organismos inúteis como acontece em todos os países.
O que é necessário é ver quais são os inúteis.
(continua)

O Raio disse...

(continuação)

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que obrigaram a fechar e destruir as linhas de caminho de ferro para que agora estejamos em maior dependência do petróleo que não possuímos? "

Aqui concordo que a política deste governo e dos anteriores tem sido idiota.

"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que mandaram aumentar os impostos às pequenas e médias empresas e reduzi-los às grandes empresas e aos Bancos para que aquelas que mais empregos geravam tivessem que fechar portas? "

Não posso garantir mas até acho que Bruxelas teve alguma mão nisso.


"- Foi Bruxelas ou Frankfurt que mandaram injectar 2.500 milhões de euros no BPN, dinheiro que o Estado não tinha e que agora tenha de ir ao bolso já seco dos contribuintes, só para manter as fortunas colossais dos amiguinhos e dos amigos dos amiguinhos?"

Aqui foi cobardia pura e simples deste Governo. Devia ter nacionalizado toda a SLN. Mas deve ter tido medo de atacar assim sem mais nem menos os poderes instalados, geralmente ligados ao PSD.

"Como vê, seria um rol imenso de denúncias, tantas que não caberiam aqui, de tantas asneiras feitas pelo "pobre" do Sócrates apenas em 6 anos de governo!..."

O que foi indicado, de uma forma geral tem a mão de Bruxelas e foi praticado quer pelo PS quer pelo PSD.

É, para mim terrível, ver-me na situação de defender o Sócrates que pessoalmente, considero um bandalho que passa o tempo a baixar as calças a Bruxelas.

Mas assusta-me o tipo de discurso como o do artigo que bate desalmadamente no Sócrates como se o pobre e impotente bandalho fosse culpado do que quer que seja e só serve para abrir caminho a outro bandalho que, na melhor das hipóteses será tão mau como o Sócrates.

Anónimo disse...

Inspirado pelos mails de "combate" às gasolineiras lembrei-me do seguinte:
Vamos fazer uma campanha online para ninguém votar no PS!
Imaginem que o PS tem 5% nas próximas eleições! Qual seria a lição que toda a classe política e financiadores levariam?! Será que o PSD (imaginando que seriam governo) teria mais cuidado (roubava menos) na governação?! Senão seriam os próximos.
Na Hungria o PS passou de partido maioritário a 4% de uma eleição para outra, só porque o primeiro ministro disse em off que se estava a "cagar" se o que dizia era mentira o que queria era ganhar as eleições.
Acho que não temos nada a perder!
Vamos votar em quem quer que seja menos no PS!!!
Deixei de abastecer GALP e BP.

PS: Eu voto MEP

O Raio disse...

"Vamos votar em quem quer que seja menos no PS!!!"

Que disparate!

O PSD=PS em muitas das partes negativas. Aliás, o PSD já provou no Governo que só faz porcaria!

Se o anónimo fosse honesto e não fosse um laranjinha na clandestinidade teria dito vamos votar nos partidos fora do arco governativo, desde o MRPP até ao PND ou PNR passando pelo PCP e pelo BE.

Isto sim, pregava um susto a muita gente, a começar pelos cavalheiros lá de Bruxelas.

Porca miseria, o PSD deve andar mesmo desesperado para a arranjar truques tão baixos!

Teixeira Pina disse...

É esta a republica que o povo quis. Já alguem se preocupou em analisar a republica portuguesa? desde 1910? quais as vantagens que trouxe para o Pais? Quais os paises com melhore qualidade de vida do mundo? são republicas? Somos mesmo uma cambada de tansos sem memoria. Continuemos a alimentar esta corja de ladrões corruptos e permitamos que os nossos filhos continuem a ter cada vez mais o futuro hitpotecado.