terça-feira, 16 de abril de 2013

Wolfgang Schäuble – A sombra demoníaca por detrás da crise europeia!

.



Schäuble – A crise é necessária para a união política

Há muito tempo que me pergunto por que Merkel e Schäuble se defendem tão veementemente contra os Eurobonds e também contra o resgate em massa dos títulos de países falidos através do BCE, quando praticamente todos os países da Zona Euro, e principalmente a França, exigem isso.    Os mercados também clamam por isso e querem ver uma solução imediata.

Ao contrário disso, ambos rejeitam estas exigências como se o momento para tal acção imediata não exigisse tal medida e eles repetem sempre a necessidade de medidas de contenção de gastos dos países do sul da Europa.

Primeiro, pensei que o Bundesregierung  (governo federal alemão)  não queria pagar juros altos que estariam  associados à introdução dos Eurobonds, ou que um programa de resgate do BCE levaria a uma enorme inflação, o que eles também mencionaram como justificativa para a sua posição negativa.    Após recentes declarações, tornou-se-me claro o que os dois querem:   - Merkel e Schäuble não querem de forma alguma solucionar a crise europeia;   eles não vêem o caos como problema, mas sim como necessidade.   Imaginem uma coisa destas:
Declaração de Schäuble:    “Nós podemos alcançar uma união política apenas através de uma crise”.     Isto declarou  ele, de facto, ao New York Times.

Quer dizer em bom alemão, o Bundesregierung quer levar toda Zona Euro para a merda e produzir desta forma uma crise, até que todos os países-membros abram mão espontaneamente da sua soberania e gritem por uma união político-fiscal.    É justamente isso que querem alcançar Merkel e Schäuble, e justamente isso eles irão propor no encontro dos líderes europeus no próximo dia 9 de dezembro (passado).    Eles querem obrigar a uma mudança do Tratado Europeu para poder erguer um governo central financeiro para a Zona Euro.

Schäuble disse ainda ao New York Times:    "O que almejamos com a União Fiscal é um breve passo para a moeda.   A longo prazo necessitamos de uma União Política".

Ahhhh...  este é o seu objetivo:   - a dissolução de cada país europeu num Super-Estado governado a partir de Bruxelas.     
Merkel já disse também que a Alemanha estaria disposta a abrir mão da sua soberania para que Bruxelas possa ditar a política económica e financeira para a Zona Euro.
O que o Bundesregierung exige dos países falidos  (maciça contenção de despesas e a conhecida disciplina orçamental)  leva logicamente à agudização da crise.    Com isso não apenas é reduzido o salário disponível do cidadão e a economia é enfraquecida, mas a conjuntura de toda a União Europeia cai de joelhos.    A arrecadação de impostos diminui e aí, então, os países não podem pagar as suas dívidas.    Ou Merkel e Schäuble são completamente incompetentes caso não entendam estas consequências, ou eles têm a intenção deliberada de alcançar este objectivo.    Eu aposto na segunda opção.

Merkel e Schäuble comportam-se como se tivessem todo o tempo do mundo, enquanto os investidores, em pânico, recusam a compra de títulos e exigem uma intervenção imediata.    Até os chineses e japoneses saíram agora da Zona Euro porque tudo lhes parece muito incerto, como mostram os últimos dados.  
Os juros dos títulos públicos estão extremamente altos e os países PIIGS não podem mais refinanciar as suas dívidas correntes.    Merkel e Schäuble impedem, entretanto, a intervenção maciça do BCE como última salvação e querem intencionalmente o crash como o seu “objetivo principal”.

Qual é sua motivação?    Merkel e Schäuble são impulsionados por uma missão que fora implantada pelo seu mentor espiritual, Helmut Kohl.     Schäuble participou activamente como negociador do governo ocidental na reunificação de ambos os estados alemães e vê este sucesso como um ponto alto da sua carreira.    Agora ele pretende algo ainda maior:   - unir toda a Europa em uma União.    Ele vê-se como parte da grande História, como arquitecto da nova Europa;    esta é sua ambição, e ele quer ainda ultrapassar Kohl.    E Merkel também quer isso.

Eu já digo há muito tempo que Wolfgang Schäuble é um louco completo, o homem é realmente perigoso.    Ele introduziu o estado policial e controlador como ministro do interior.  
Ele sempre foi impulsionado por uma ambição doentia - com 30 anos quis passar de deputado para chanceler.    Destino e escândalos retiraram-lhe as chances.    A 12 de Outubro de 1990 ele foi alvejado, e desloca-se desde então em cadeira de rodas.    No ano 2000, um escândalo de suborno em torno das contas partidárias fez com que renunciasse do cargo de presidente do partido CDU, e Angela Merkel foi colocada à frente do seu nariz.     Neste contexto, foi ele mesmo que a indicou, dois anos antes, como secretária geral do partido.

Schäuble é um psicopata que leva neste momento a Europa ao caos, apenas para poder realizar a sua visão de uma Europa unida politicamente, na qual ele trabalha nos bastidores há mais de 30 anos.    Ele quer entrar para os livros de história com esta proeza.    Por isso ele é para mim um louco, pois só alguém assim pode querer conscientemente a destruição, e com isso poder construir a “Haus Europa”.    Ele quer utilizar para isso a aparente força da Alemanha e a fragilidade dos outros países.

Isso explica a sua recente e arrogante declaração sobre os britânicos - "eles iriam logo abdicar da libra e teriam que aderir ao Euro".     Ou ainda o seu esclarecimento no 12º Congresso Europeu dos Bancos - a União Fiscal virá nos próximos 24 meses, basta apenas alterar o protocolo 14 do Tratado de Lisboa - "a soberania do países europeus é apenas uma relíquia do passado", e então, com toda naturalidade, ele afirmou: “… nós na Alemanha nunca mais fomos completamente soberanos em momento algum desde o 8 de maio de 1945!”

Olá...   de uma “teoria da conspiração” aconteceu um fato conspiratório.    Onde está a comunicação social?     Eu, ingénuo, parto sempre da premissa que a imprensa tem a tarefa de informar a população, mas o seu trabalho é embrutecê-la e mantê-la alienada.    Os alemães nem devem saber do que Schäuble confirmou - eles vivem desde a guerra num país não soberano  (nunca foi ratificado um tratado de paz desde a II G.Guerra...).

Uma coisa estes loucos dizem quando correm atrás dos seus objectivos:   - eles falam de facto a verdade sobre o que aconteceu no passado e o que almejam para o futuro.    Talvez os políticos britânicos não estejam assim tão errados quando alertam para um Super-Estado dominado pela Alemanha, como apresentei no meu artigo  “Irlanda – Alemanha é nosso novo mestre!”  

É mais do que chegada a hora de os democratas alemães mostrarem o cartão vermelho para Merkel e Schäuble, pois, caso contrário, a Europa vai mergulhar no caos e novamente numa ditadura fascista.
(Alles Schall und Rauch, 21/11/2011)

(Publicado AQUI) (Sublinhados, imagens e adaptação para português de Portugal por este blogue)


7 comentários:

menvp disse...

A FIRMEZA DO CONTRIBUINTE ALEMÃO ESTÁ A SALVAR A EUROPA
.
-> A comunicação social [nota: é contolada pela superclasse] que ridicularizou os anti-endividamento (um exemplo: no passado, Manuela Ferreira Leite foi ridicularizada)... agora... procura retratar o contribuinte alemão como novos nazis...
.
-> Marionetas ao serviço da superclasse CAVAM BURACOS SEM FIM (nas finanças públicas, nas empresas públicas, na Banca)...
-> Marionetas ao serviço da superclasse (alta finança - capital global) enfiaram-nos numa armadilha: a Espiral recessiva...
-> 'Paladinos' do discurso anti-austeridade... ESTIVERAM CALADOS que nem um rato... ""ignorando"" o perigo que era os Estados andarem a endividar-se na construção de auto-estradas 'olha lá vem um', estádios de futebol sem público, nacionalização de bancos falidos, etc, etc...
-> O discurso anti-alemão que reina nos media internacionais (nota: são controlados pela superclasse) é uma consequência óbvia: depois de andar a 'cavar-buracos'... e andar a saquear contribuintes em vários países... a superclasse (alta finança - capital global) quer saquear o contribuinte alemão.
-> A firmeza do contribuinte alemão (não cedendo à pressão exercida internacionalmente...) é fundamental para salvar a Europa.
{ Nota: Depois de 'cozinhar' o caos... a superclasse aparece com um discurso, de certa forma, já esperado!... Exemplo: veja-se a conversa do mega-financeiro George Soros: «é preciso um Ministério das Finanças europeu, com poder para decretar impostos e para emitir dívida» }

Fada do bosque disse...

Olá Milan,

Quando começam a demonizar os alemães é porque a história é bem mais complicada. Ouso dizer que a Alemanha sempre foi vítima dos híbridos da usura e foi país escolhido por eles pela sua exposição demográfica, a Europa central... levando também em conta a meseta da Boémia, cobiçada há muitos séculos por esse povo que vive às custas dos outros, pela potência do vórtice telúrico que aí se encontra e que foi causa de disputas entre vários povos ao longo dos milénios. No dia em que os germanos deixarem a Boémia ser dominada por tal "gente", a Europa está perdida por completo.

Um abraço

Milan Kem-Dera disse...

Olá Fada!

Na verdade nada sei sobre vórtices energéticos, como também nada sei sobre poderes sobrenaturais, ciências do oculto e de experiências paranormais. A minha formação em ciências exactas (física e matemática) não me deixam espaço mental para entrar nesses campos. Deixo isso para os especialistas e para os estudiosos dessas matérias.

Desconheço, pois, as características que aponta sobre a região da Boémia, mas uma coisa eu sei: - enquanto tivermos esta dupla Schäuble-Merkel a dominar a Europa e partindo do conhecimento das "supostas" ambições daquele e da submissão a ele da própria Merkel (e da espera sobre o resultado das eleições em Setembro), a Europa está feita!

Será... Schäuble... um elemento disfarçado desse "povo"?!

De qualquer forma, para nós, aprisionados no "olho" deste furacão... espera-nos um futuro muito incerto (se entretanto uma segunda bala não acertar um pouquinho mais acima...).
Daí que o Jean-Claude Juncker tenha já avisado que os demónios de uma nova Guerra na Europa estão apenas "adormecidos"...

Um abraço

Fada do bosque disse...

Olá Milan,

Uma das qualidades que os "agentes desse povo" não conseguem possuir como os demais povos, é algo como o Carisma. Quando um líder manipula um país por trás do pano, quando um país é liderado na sombra ou bastidores, quando um líder não tem uma ligação "metafísica" com o seu povo, quando o descontentamento desse povo é quase generalizado é porque quem governa, não o está a representar e é mais do que certo que esse ou esses "representantes", representam outros interesses e que são os seus, não os do povo.
O futuro não é incerto, é mais do que certo. A Sinarquia está finalmente consolidada no governo mundial. Os demónios não estão adormecidos, são eles quem governa a Europa.

A Boémia há já quase um século que caiu na mão dos eslavos.

Um abraço

Milan Kem-Dera disse...

Olá Fada!

Deixou-me confuso... a que líder (ou líderes) se refere? Alguém em particular, ou fala de uma forma abrangente?!

Sim, sim... sem dúvida que o "governo mundial" está em marcha. Os bandidos da NWO não dormem. E, quando morrem, deixam sempre quem os substitua na maléfica cruzada (até o Bill Gates considera que a população mundial tem de reduzir em 1.500 milhões para ser sustentável; e junta-se aos outros bandidos que se servem, inclusive e entre muitas outras formas devastadoras, de "necessárias e inocentes" vacinas que (por acaso) matam...) - Mas tudo isto faz parte do plano traçado há muitos anos pela "elite".

Quanto à Boémia... sei apenas o que toda a gente sabe: que, desde o séc.V, tem mudado de dono inúmeras vezes, desde a sua ocupação pelos celtas, tomada pelos marcomanos (germânicos), ocupada pelos romanos e finalmente pelos eslavos no séc.VII. A partir daí e até ao séc.IXX, a Boémia passou por contínuas "danças de cadeiras" naquela região do centro da Europa.
Até que... no final da revolução de 1848, quando foi abolido o regime de servidão, a classe média boêmia alcançou o poder político.

Durante a primeira guerra mundial ganhou força o pan-eslavismo checo, que rejeitava a monarquia austríaca e procurava a união com os eslovacos e com a Morávia. Em 1818 surgiu a República da Checoslováquia, da qual a Boémia foi uma província até 1939, altura em que, juntamente com a Morávia, foi ocupada por tropas nazis e transformadas em protetorado do III Reich.

Em 1945 o regime anterior foi restaurado, mas em 1948 o país transformou-se na República Socialista da Checoslováquia. Em 1993 e com o desmembramento da Checoslováquia, a Boémia passou a integrar a então recém-surgida República Checa, juntamente com a Morávia.

A Partir daqui... nada mais sei.

Um abraço


Fada do bosque disse...

Olá Milan,

Como vê é uma zona por demais disputada e falar sobre isso levar-nos-ia a uma discussão metafísica, que pelos vistos não seria profícua, não porque me disse anteriormente que deixava isso para os mestres (acredite que é a metafísica que governa o mundo) mas porque todos os planos para combater a Sinarquia (conjunto de poderes) falharam, Por isso lhe digo que o futuro é mais do que certo, basta olhar o passado. Quanto à despopulação , é real. Estamos no meio de uma guerra santa, cósmica e no fim do Kali Yuga... os árabes, judeus e orientais na sua generalidade, sabem-no. Infelizmente os ocidentais andam completamente aparvalhados e todo o ruído que fazem, não passa de niilismo. Acredite que vão ser "apanhados" quase todos desprevenidos e indefesos, infelizmente.

"Um dos segredos mais guardados do judaísmo: Jesus, Mestre ascenso da Fraternidade Branca e treinado em Cabala acústica pela nata dos sacerdotes levitas, desceu vivo da Cruz e foi escondido por sua Ordem; retornou a Shambhala e ainda está lá, cumprindo uma missão muito especial e terrível. Desde ali ele emana a energia de Metatron, o Homem Arquetípico, e isso tem como efeito que O PRÓPRIO IMPULSO EVOLUTIVO DA CULTURA HUMANA CAMINHA, A PARTIR DE JESUS, NA DIREÇÃO DE METATRON, O HOMEM DE BARRO, O JUDEU ARQUETÍPICO! Ele o faz a partir do que chamamos Raio Geotopocêntrico, que se espalha pela superfície da Terra e sobe pela coluna vertebral do homem até a esfera emotiva do cérebro.

Basta comprovar com isso a quase universal crença na igualdade, na democracia, no sentimentalismo dos direitos facilitados, nas histórias e dogmas que o Povo Eleito impõe. É um impulso natural na razão humana desde Jesus.

Cabe dizer que na Sabedoria Israel é chamado ANAHATA CHAKRA, o Chacra do Coração ou o Coração da Terra, porque todos os seus argumentos se dão a partir da esfera sentimental, da piedade, da comiseração, da fraternidade pacifista, do amor a todas as coisas criadas. É o que alguns eminentes cabalistas chamaram TROCAR A ÁGUIA PELA POMBA: da ave altiva e orgulhosa dos guerreiros, à estúpida e servil pomba da paz dos cordeiros obedientes."

"O conceito de que a batalha é um sofrimento é deveras cristão. Para quem é criado sob nossos conceitos, as batalhas, o caos, tudo isso concorre para o fortalecimento pessoal."

Dedicar uma vida a uma postura, a um código de valores não é intolerância, intolerância é querer forçar sua visão aos outros.

Não lutamos mais porque queremos que o inimigo cumpra sua meta, isso irá acelerar o final e nossa tão almejada liberdade.

Um abraço

Antonio Cristovao disse...

quando da adesao a CEE fquei aliviado porque os politicos no activo punham como 1ª condição as decisões serem tomadas e aprovadas por nós próprios e tirando os poucos assuntos comuns só se aprovados. Afinal andaram a enganar-nos tambem aqui pois todo o endividamento das empresas do estado -16 mil milhoes + autarquias -10 mil milhoes + defice do Jardim -8 mil milhoes + defice orçamento -20 mil milhoes foram comandados pela Merkl e o tenebroso ministro das finanças. Se me perguntassem agora em votação escolhia sair da UE já .Portugal tem que manter a sua independencia e ser governado pelos nossos dirigentes politicos .Fico só espantado é não ver os antigos defensores(ainda me lembro de alguns) não apoiarem com energia identica as nossas posições.