segunda-feira, 19 de julho de 2010

E a propósito de mulheres... só mais esta!




"O que eu soube sempre sobre as mulheres, mas tive à mesma que perguntar."

Tratam-nos mal, mas querem que as tratemos bem. Apaixonam-se por serial-killers e depois queixam-se de que nem um postalinho. Escrevem que se desunham. Fingem acreditar nas nossas mentiras desde que tenhamos graça a pregá-las. Aceitam-nos e toleram-nos porque se acham superiores. São superiores. Não têm o gene da violência, embora seja melhor não as provocarmos. Perdoam facilmente, mas nunca esquecem. Bebem cicuta ao pequeno-almoço e destilam mel ao jantar. Têm uma capacidade de entrega que até dói. São óptimas mães até que os filhos fazem 10 anos, depois perdem o norte. Pelam-se por jogos eróticos, mas com o sexo já depende. Têm dias. Têm noites. Conseguem ser tão calculistas e maldosas como qualquer homem, só que com muito mais nível. Inventaram o telemóvel ao volante. São corajosas e quando se lhes mete uma coisa na cabeça levam tudo à frente. Fazem-se de parvas porque o seguro morreu de velho e estão muito escaldadas. Fazem-se de inocentes e (milagre!) por esse acto de bondade tornam-se mesmo inocentes. Nunca perdem a capacidade de se deslumbrarem. Riem quando estão tristes, choram quando estão felizes. Não compreendem nada. Compreendem tudo. Sabem que o corpo é passageiro. Sabem que na viagem há que tratar bem o passageiro e que o amor é um bom fio condutor. Não são de confiança, mas até a mais infiel das mulheres é mais leal que o mais fiel dos homens. São tramadas. Comem-nos as papas na cabeça, mas depois levam-nos a colher à boca. A única coisa em nós que é para elas um mistério é a jantarada de amigos - elas quando jogam é para ganhar. E é tudo. Ah, não, há ainda mais uma coisa. Acreditam no Amor com A grande mas, para nossa sorte, contentam-se com pouco.

Crónica de Rui Zinkin O Metro de 8/03/2010.  Também reproduzida aqui e aqui.
.

6 comentários:

Zingara disse...

Não vou contestar. É assim mesmo. HAHAHAHAAH

Milan Kem-Dera disse...

Eu também não contesto. Isto é tudo verdade, verdadinha. Só não sei é se gosto da "brincadeira"... que todas estas coisas complicam demasiado a minha cabeça! A cabeça de todos os homens!...
E depois... queixam-se se a gente não as entende...

kakauzinha disse...

O Zink deve ter é traçado o perfil das tontas que já o aturaram, de certeza! O desequilíbrio que aqui vai, transformando todas as mulheres em bipolares e com dupla personalidade.

O gajo devia era ir coçar os tomates, que é o que ele deve saber fazer melhor.

:))****

Milan Kem-Dera disse...

Ena Kakauzinha, vê-se que não concordas nada com o Zinc!
Mas olha que, embora esta crónica seja apenas uma caricatura, ele não deixa de dizer algumas verdades!
Eu não chamaria de bipolaridade ou de dupla personalidade (não é), mas antes uma maneira muito própria de a mulher lidar com as situações, e que, não poucas vezes, são mal descodificadas por nós. E daí ao equívoco é um passinho muito pequenino... eu acho.

:))***

Karocha disse...

Pois são Milan ;-)))

lili disse...

Pois eu acho que o Zink está cheio de razão, e que a pessoa, seja mulher ou homem, sempre igual 24 horas sobre 24 horas sempre igual é uma sensaborona. Nem acredito que exista, só um pobre de espírito.